Foto: Bruno Cantini/Atlético

Apesar de o ataque ter passado em branco, o Atlético trouxe um bom resultado da Argentina no primeiro confronto contra o Racing pelas oitavas de final da Copa Libertadores. Em um jogo equilibrado, mas com chances para os dois lados, o time alvinegro segurou o empate por 0 a 0, no estádio El Cilindro, nesta quarta-feira.

O Atlético desperdiçou pelo menos três ótimas oportunidades – uma com Júnior Urso, outra com Lucas Pratto e outra com Robinho – para sair de Avellaneda com a vitória. Já o Racing pressionou a maior parte do tempo e chegou a mandar uma bola na trave.

Com o resultado, o Atlético precisará apenas de uma vitória simples no jogo da volta, na próxima quarta-feira, às 21h45, no Independência, para se classificar às quartas de final. Novo 0 a 0 leva a decisão para os pênaltis. Empate com gols dá a vaga para o Racing.

O empate ampliou a sequência positiva do Atlético na Argentina. Nas últimas oito partidas em solo hermano, o time venceu quatro, empatou três vezes e sofreu apenas uma derrota.

Agora, o Atlético volta as atenções para a final do Campeonato Mineiro. Domingo, às 16h, a equipe alvinegra inicia a disputa do título estadual contra o América, no Independência.

Primeiro tempo equilibrado

Como já era previsto, o time da casa começou pressionando. Com o apoio da torcida, o Racing chegou com perigo logo aos dois minutos. Romero cobrou falta para área e, após desvio, Victor salvou em cima da linha.

Sem se assustar com o sufoco inicial do Racing, o time alvinegro também se mandou para o ataque. Aos 11 minutos, Lucas Pratto recebeu de costas na entrada da área, girou e bateu para o gol para boa defesa de Saja.

O Racing chegou a balançar as redes aos 12 minutos, mas Grimi foi flagrado em impedimento antes de chutar para o gol.

O duelo era bastante disputado no El Cilindro e com muitas faltas de ambos os lados. Enquanto o Racing era mais presente no ataque, o Atlético se segura bem no setor defensivo e ainda conseguia beliscar algumas jogadas ofensivas. Em um desses ataques do Galo, a zaga argentina deu bobeira na frente de Robinho. O atacante tocou para Pratto que bateu de longe, a bola desviou no marcador e quase enganou o goleiro.

Nos acréscimos do primeiro tempo, o Atlético teve a melhor oportunidade para abrir o placar. Dátolo foi à linha de fundo e cruzou para o meio da área. Júnior Urso apareceu como elemento surpresa e cabeceou rente à trave.

Jogo fica aberto com chances para os dois lados

Assim como no primeiro tempo, a etapa final começou com pressão do Racing. E Victor foi determinante para segurar o 0 a 0 no placar. Logo no primeiro minuto, Romero surpreendeu chutando de longe e o camisa 1, que estava um pouco adiantado, se esticou todo para mandar para escanteio. Aos sete, o arqueiro salvou um chute de fora da área que desviou no meio do caminho e ia entrando no cantinho.

Em busca de pelo menos um gol, o Racing se mandou para o ataque e abriu espaço para o contragolpe do Atlético. Na primeira descida, Robinho avançou livre e acionou Lucas Pratto. O argentino do Galo invadiu a área e bateu forte, mas a bola passou raspando o travessão.

O jogo ficou aberto. Na sequência, Romero deu um belo lançamento nas costas da defesa alvinegra para Lisandro López. O atacante entrou na área e finalizou com força e a bola explodiu na junção entre a trave e o travessão.

Aos 25 minutos, o Atlético desperdiçou a melhor chance do jogo. Marcos Rocha descolou um lindo lançamento do meio-campo para Robinho que, mesmo pressionado pela marcação do zagueiro, saiu cara a cara com Saja, encobriu o goleiro, mas a bola foi para fora. Logo em seguida, o camisa 7 deixou Júnior Urso na cara do gol, mas o volante bateu em cima do camisa 1 do Racing, perdendo mais uma oportunidade de inaugurar o placar para o Galo.

Aos 44 minutos, a casa do Atlético quase caiu. Após cruzamento para o meio da área, o zagueiro Vittor subiu mais que Leonardo Silva, mas cabeceou para fora.

Racing 0 x 0 Atlético

Racing: Saja; Pillud, Vittor, Sánchez e Grimi (Diaz); Videla, Aued, Acuña, Noir (Roger Martínez) e Óscar Romero; Lisandro López. Técnico: Facundo Sava

Atlético: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Erazo e Douglas Santos; Leandro Donizete, Rafael Carioca, Júnior Urso e Dátolo (Clayton); Robinho (Cazares) e Lucas Pratto. Técnico: Diego Aguirre

Motivo: jogo de ida – oitavas de final da Copa Libertadores

Data: 27 de abril 2016, quarta-feira, às 19h30

Local: Estádio El Cilindro, em Avellaneda (Argentina)

Cartão Amarelo: Leonardo Silva, Rafael Carioca, Júnior Urso (Atlético); Acuña (Racing)

Árbitro: Julio Quintana (PAR)

Auxiliares: Eduardo Cardozo (PAR) e Roberto Cañete (PAR)

 

COMPARTILHAR
Marcus Vinícius Gomes
Réporter Esportivo desde 2010, 30 anos, apaixonado por futebol, viajou Minas Gerais nas melhores coberturas esportivas para Rádios, TV e claro, se divertindo fazendo aquilo que gostava, que é estar à beira do gramado.

Comentários no Facebook