A um ano da Copa: Rússia encara problemas e se prepara para testes

A contagem regressiva foi iniciada. Falta um ano para a bola rolar na Copa do Mundo da Rússia. Um período de tempo que voou se comparado às lembranças que ainda temos, tão recentes como ontem, de que há três anos o Brasil recebia sua segunda Copa do Mundo. Pois agora se aproxima a vez dos russos. O Mundial retorna ao continente europeu para encarar desafios que vão além do futebol. O terrorismo assusta, assim como a extensão continental de uma Rússia de mais de 17 milhões de quilômetros quadrados, nove fusos horários e várias diferenças geográficas e climáticas. Facetas de um país que ainda enfrenta uma grave recessão, barreiras econômicas internacionais e em situação de guerra na Síria e na Ucrânia.

Apesar de tudo isso, o governo de Vladimir Putin estipulou no orçamento federal para o triênio 2017-19 investimentos de 156,4 bilhões de rublos (cerca de R$ 8,2 bilhões) destinados para a Copa do Mundo.

O investimento não esconde uma certa megalomania. A Rússia quer fazer um Mundial impactante e para isso não poupará esforços. Mas existem outras situações que preocupam. No meio desta avalanche de questionamentos, começa no dia 17 deste mês, no próximo sábado, uma espécie de prova de fogo para os russos – a Copa das Confederações. São Petersburgo, Moscou, Sochi e Kazan sediarão as partidas, que se estenderão até o dia 2 de julho e envolverão oito países – Rússia, Alemanha, Portugal, Chile, México, Nova Zelândia, Austrália e Camarões.

COMPARTILHAR
Redação
Como maior ouvidoria popular de Governador Valadares, o Programa Valadares na TV se destaca por levar informação e conteúdo exclusivo de problemas e assuntos de nossa cidade.

Comentários no Facebook