Foto: Juliana Fliste

Depois de quatro anos, o América está de volta à decisão do Campeonato Mineiro. Mesmo podendo perder por um gol de diferença para o Cruzeiro, o Coelho conseguiu controlar o rival, foi pouco ameaçado durante os 90 minutos e garantiu a vaga com um empate por 0 a 0 no Mineirão, neste domingo.

O adversário na finalíssima será o Atlético, que conseguiu a classificação nesse sábado, após bater a URT por 2 a 0, no Independência. Por ter feito melhor campanha na fase de classificação, o Galo jogará por dois resultados iguais para conquistar o título.

Tanto Atlético quanto América entram em campo neste meio de semana, antes da primeira partida decisiva do Estadual. Nesta quarta-feira, o alvinegro enfrenta o Racing, na Argentina, pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América. No dia seguinte, o Coelho recebe o Red Bull Brasil, no Horto, pela Copa do Brasil.

O jogo

O jogo começou quente e antes dos cinco minutos dois jogadores já haviam sido advertidos com o cartão amarelo: Ariel Cabral e Osman. Aos sete, o primeiro lance de perigo. Após cruzamento da direita, Tony apareceu livre da área do Cruzeiro, mas pegou de coxa na bola, que saiu por cima do gol.

Aos 12, o auxiliar Sidmar dos Santos Meurer prejudicou claramente o Cruzeiro. De Arrascaeta cobrou falta da direita e o zagueiro Bruno Rodrigo, em posição legal, cabeceou para as redes, mas o bandeirinha viu impedimento no lance e anulou o gol celeste.

No minuto seguinte a reclamação foi americana. Victor Rangel foi lançado pelo meio e reclamou que foi puxado por Fabrício no momento em que invadia a área. O árbitro Igor Junio Benevenuto mandou seguir o jogo.

Mesmo com o domínio do jogo, o time celeste não conseguia chegar com perigo ao gol de João Ricardo. Tanto que, aos 38, Fabrício carregou pelo lado esquerdo e acertou uma bomba de fora da área. Atento, o goleiro do Coelho segurou firme.

Pressão ineficaz

Mesmo precisando de pelo menos dois gols para chegar à decisão, o Cruzeiro voltou para o segundo tempo com pouquíssima inspiração ofensiva. O time de Deivid até controlava a posse de bola e rondava a área americana, mas com pouco perigo.

Aos 21, o volante Federico Gino arriscou de fora da área, mas a bola saiu mascada e passou sem perigo à direita de João Ricardo. O lance irritou a torcida celeste, que começou a vaiar o técnico Deivid.

O Coelho, por sua vez, apostava nos contra-ataques para tentar matar definitivamente o rival. Aos 25, Osman escapou pela direita e chutou para o gol. Bruno Rodrigo conseguiu travar a finalização e a bola saiu pela linha de fundo.

Aos 36, veio a melhor chance do Cruzeiro no jogo. Fabrício invadiu a área pelo lado esquerdo e bateu colocado com a perna direita, mas a bola beijou a trave do goleiro americano. Na sobra, a zaga deu um chutão para aliviar o perigo.

Cruzeiro 0 x 0 América

Motivo: segundo jogo da semifinal do Campeonato Mineiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 24 de abril de 2016
Árbitro: Igor Junio Benevenuto
Assistentes: Sidmar dos Santos Meurer e Magno Arantes Lira
Cruzeiro: Fábio; Henrique, Bruno Viana, Bruno Rodrigo e Fabrício; Gino, Ariel Cabral (Rafael Silva), Elber, De Arrascaeta (Pisano) e Alisson (Alano); Willian. Técnico: Deivid
América: João Ricardo; Pablo, Alison, Sueliton e Bryan; Leandro Guerreiro, Claudinei, Tony e Rafael Bastos (Ernandes); Osman (Danilo) e Victor Rangel. Técnico: Givanildo Oliveira

COMPARTILHAR
Marcus Vinícius Gomes
Réporter Esportivo desde 2010, 30 anos, apaixonado por futebol, viajou Minas Gerais nas melhores coberturas esportivas para Rádios, TV e claro, se divertindo fazendo aquilo que gostava, que é estar à beira do gramado.

Comentários no Facebook