Créditos: Rafael Ribeiro / CBF

Diante de 45.010 torcedores, a Seleção Brasileira ficou no empate em 2 a 2 com o Uruguai, na Arena Pernambuco, em Recife, nesta sexta-feira (25), pela quinta rodada das Eliminatórias.

Com oito pontos, o Brasil ocupa o terceiro lugar na tabela de classificação e agora se prepara para enfrentar o Paraguai. Pela sexta rodada, as equipes se enfrentam na próxima terça-feira (29), às 20h45, no Defensores del Chaco, em Assunção, no Paraguai.

O jogo

Com um início arrasador, o Brasil saiu na frente com Douglas Costa, no primeiro ataque da partida. Sem deixar o adversário tocar na bola, a equipe brasileira avançou pela esquerda e, após o cruzamento de Willian, o camisa 7 tocou com a ponta da chuteira para abrir o placar aos 39 segundos, 1 a 0. Aos sete minutos, Neymar quase ampliou após receber lançamento de Daniel Alves. Dentro da área, o camisa 10 dominou no peito, cortou a marcação de dois uruguaios e finalizou com perigo à direita do gol de Muslera. Aos 20, Douglas Costa puxou em velocidade pelo meio e achou Neymar, que chutou cruzado de esquerda para a defesa do goleiro. Dominando as ações, a Seleção Brasileira ampliou, aos 25 minutos, com um golaço de Renato Augusto. Após belo passe em profundidade de Neymar, o meia tirou o goleiro da jogada com uma finta de corpo e empurrou para o fundo da rede, 2 a 0. Aos 35 minutos, o Uruguai diminuiu com Cavani, que aproveitou sobra da cabeçada de Sánchez para fazer 2 a 1.

Suárez, discreto em toda a primeira parte do jogo, resolveu aparecer justamente em David Luiz, o mesmo que sofreu em suas mãos quando o PSG enfrentou o Barcelona pela Liga dos Campeões.

Aliás, não só Suárez, como Cavani também fez o que quis com o defensor brasileiro. Assim, logo aos dois da etapa final, o brasileiro deu espaço e pagou caro. O astro do Barcelona bateu cruzado e empatou. Arena se calou de vez e teve que reverenciar Suárez. A vitória certa se tornou um empate com gosto de derrota.

O Brasil parou de jogar, assustado. O Uruguai cresceu e foi para cima com sua principal característica, a valentia. E só não conseguiu uma virada histórica graças a duas belas defesas de Alisson. Neymar, a estrela de amarelo, correu e não conseguiu resolver sozinho. Suárez também não teve uma atuação de gala, longe disso, mas acabou marcando o gol que permitiu aos uruguaios deixar Recife com gosto de vitória.

BRASIL 2 X 2 URUGUAI

BRASIL – Alisson; Daniel Alves, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Fernandinho (Philippe Coutinho) e Renato Augusto; Willian (Lucas Lima), Douglas Costa (Ricardo Oliveira) e Neymar. Técnico: Dunga.

URUGUAI – Fernando Muslera; Jorge Fucile, Sebastián Coates, Mauricio Victorino e Álvaro Pereira; Arévalo Rios, Matias Vecino Carlos Sánchez (Stuani) e Cristian Rodriguez (Álvaro Gonzalez); Cavani e Luis Suárez. Técnico: Óscar Tabárez.

GOLS – Douglas Costa, a 1, Renato Augusto, aos 25, e Cavani, aos 30 minutos do primeiro tempo; Suárez, aos 2 do segundo.

ÁRBITRO – Néstor Pitana (ARG).

CARTÕES AMARELOS – Suárez, Neymar, Daniel Alves e David Luiz.

PÚBLICO – 43.898 pagantes.

RENDA – R$ 4.961.890,00.

LOCAL – Arena Pernambuco, em Recife (PE).

COMPARTILHAR
Marcus Vinícius Gomes
Réporter Esportivo desde 2010, 30 anos, apaixonado por futebol, viajou Minas Gerais nas melhores coberturas esportivas para Rádios, TV e claro, se divertindo fazendo aquilo que gostava, que é estar à beira do gramado.

Comentários no Facebook