Aterro Municipal de Governador Valadares é bloqueado por catadores

Membros da Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis Natureza Viva (ASCANAVI), bloquearam a entrada do aterro municipal de Governador Valadares (MG), na manhã desta quinta-feira (10). Segundo a ASCANAVI, a manifestação é pela falta de materiais recicláveis para o trabalho dos associados, provocada pela paralisação da coleta seletiva de lixo na cidade há três dias.

A coordenadora de finanças da associação, Ivanilde Pereira Ribeiro, explica que como os caminhões responsáveis por fazerem o recolhimento do lixo reciclável estão parados, já que os motoristas não recebem, não chega material reciclável na ASCANAVI, impossibilitando que os 48 associados trabalhem.

“Nós estamos aqui para o município reconhecer o serviço da associação dos catadores. Eles não pagaram os motoristas do caminhão e quem paga por isso é a associação de catadores.” A coordenadora de finanças ainda diz que os motoristas de caminhões também estão participando da manifestação.

“Tem muita mãe e muito pai aqui que depende da coleta seletiva pra sobreviver, para dar o sustento pra família”, destaca.

Os manifestantes afirmaram que sairão do local somente após receberem um parecer da Prefeitura e da Pavotec, empresa responsável pela limpeza urbana, em relação à regularização da coleta.

Posicionamento dos envolvidos

Por telefone, a Pavotec informou que a Prefeitura de Governador Valadares seria a responsável por prestar esclarecimentos a respeito do caso. Já a Prefeitura da cidade afirmou estar negociando para que o serviço prestado pelos caminhões seja regularizado.

Entenda o caso

Na terça-feira (8), funcionários da Pavotec fizeram uma paralisação geral dos serviços de limpeza da cidade. Entre as reivindicações estavam a regularização dos salários e o recebimento do valor integral do  vale alimentação.

A empresa informou que o atraso nos pagamentos ocorreu devivo a um atraso da Prefeitura em realizar um depósito para a empresa. Parte do dinheiro foi depositado, mas o valor não era suficiente para o pagamento de todos os empregados.

A Pavotec também afirmou que estava em contato com o município para resolver a situação, mas a Prefeitura não havia se pronunciado.

Com informações do G1 Vales

Comentários no Facebook