LIBERTADORES/ATLÉTICO-MG X RACING - ESPORTES - Carlos (13), do Atlético Mineiro, comemora seu gol durante partida contra o Racing, válida pelas oitavas de final da Copa Libertadores, na Arena Independência, em Belo Horizonte (MG), nesta quarta-feira, 04. 04/05/2016 - Foto: DOUG PATRÍCIO

Com direito a pênalti perdido, o Atlético passou sufoco, mas está nas quartas de final da Copa Libertadores. Em jogo muito difícil, o time alvinegro venceu o Racing por 2 a 1, nesta quarta-feira, no Independência, e carimbou a vaga na próxima fase do torneio continental.

Surpresa do técnico Diego Aguirre para a partida, o atacante Carlos abriu o placar para o Atlético aos 16 minutos do primeiro tempo. Mas a festa durou pouco. Cinco minutos depois, Lisandro López, de pênalti, empatou para o Racing. No entanto, na etapa final, Lucas Pratto marcou o segundo do Galo e garantiu a vaga. A vitória poderia ter sido mais tranquila se o camisa 9 tivesse convertido um pênalti aos 37 minutos do segundo tempo.

Agora, o Atlético vai encarar o São Paulo nas quartas de final reeditando o confronto brasileiro das oitavas de final da Libertadores de 2013, ano em que o Galo conquistou o título inédito do torneio. Nesta quarta-feira, o Tricolor perdeu por 3 a 1 para o Toluca, no México, mas como havia goleado por 4 a 0 no Morumbi, o time paulista avançou no placar agregado: 5 a 3.

Depois da classificação suada, o Atlético foca as atenções para o jogo que decidirá o título do Campeonato Mineiro, domingo, às 16h, contra o América, no Mineirão. O time alvinegro precisa vencer por qualquer placar para levar a taça do Estadual.

O jogo

O Racing foi o primeiro a atacar. Aos oito minutos, Lisandro López foi lançado na área do Atlético, bateu para o gol e a bola passou perto da trave de Victor. A partida estava truncada, mas o Galo conseguiu abrir o placar aos 16 minutos com Carlos, a surpresa de Aguirre. Em um lance quase perdido no lado direito, Lucas Pratto fez boa jogada e cruzou para a área. O jovem atacante se antecipou ao marcador para desviar e mandar para as redes.

Mas a festa da torcida no Independência durou apenas três minutos. Aos 19, Lisandro López invadiu a área e foi derrubado por Leandro Donizete. O árbitro não teve dúvida e marcou pênalti. O atacante argentino converteu a cobrança e empatou a partida. Assim, somente a vitória interessava ao Atlético.

Mesmo após o gol de empate do Racing, o jogo continuou muito disputado. A diferença é que os argentinos começaram a catimbar e ficaram mais presentes no ataque, enquanto o time alvinegro acusou o golpe e ficou nervoso em campo.

O Atlético estava mal, errando passes e sem conseguir encaixar uma jogada ofensiva. O Racing estava mais perto do segundo gol e quase fez. Aos 47 da etapa inicial, Lisandro López cabeceou e a bola tirou tinta da trave.

Na etapa final, o Galo voltou mais ligado. Pratto encheu o pé e a bola explodiu na trave. No rebote, Robinho deu peixinho, mas a bola foi para fora.

O jogo era tenso, mas a torcida do Atlético resolveu soltar o grito nas arquibancadas do Independência para empurrar o time. E deu certo. Em cobrança de falta para área, aos 26 minutos, Lucas Pratto subiu mais que o defensor e testou para o fundo das redes: 2 a 1 para o Galo, resultado que garantia a vaga nas quartas de final.

O Galo ainda poderia ter ampliado o placar aos 37 minutos. Após bola alçada na área, Leonardo Silva cabeceou e a bola pegou no  braço do jogador do Racing. O árbitro marcou pênalti. Era a chance para tornar mais tranquilo o fim da partida. Mas Lucas Pratto foi para a cobrança e perdeu. O goleiro Ibáñez caiu no canto certo e defendeu. A tensão no Horto que já era alta subiu ainda mais.

No fim, Júnior Urso recebeu a bola sozinho, mas chutou em cima do goleiro argentino, desperdiçando mais uma oportunidade de matar o jogo. Apesar dos gols perdidos no final, o Atlético conquistou a vaga na próxima fase da Libertadores.

Atlético 2 x 1 Racing

Atlético: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Erazo e Douglas Santos; Leandro Donizete (Clayton), Rafael Carioca e Júnior Urso; Carlos (Hyuri), Robinho (Eduardo) e Lucas Pratto. Técnico: Diego Aguirre

Racing: Ibáñez; Pillud, Vittor, Sánchez e Grimi; Videla, Aued, Acuña (Pereira), Noir (Diego Milito) e Óscar Romero (Gustavo Bou); Lisandro López. Técnico: Facundo Sava

Motivo: jogo de volta – oitavas de final da Copa Libertadores

Data: 4 de maio 2016, quarta-feira, às 21h45

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)

Gols: Carlos (16’/1ºT), Lisandro López (pênalti – 21’/1ºT), Lucas Pratto (26’/2ºT)

Cartão Amarelo: Leandro Donizete, Rafael Carioca, Júnior Urso (Atlético); Óscar Romero, Gustavo Bou, Acuña (Racing)

Árbitro: Daniel Fedorczuk (URU)

Auxiliares: Mauricio Espinosa (URU) e Richard Trinidad (URU)

Público: 20.170 torcedores

Renda: R$ 1.765.390,00

FONTERadio Itatiaia
COMPARTILHAR
Marcus Vinícius Gomes
Réporter Esportivo desde 2010, 30 anos, apaixonado por futebol, viajou Minas Gerais nas melhores coberturas esportivas para Rádios, TV e claro, se divertindo fazendo aquilo que gostava, que é estar à beira do gramado.

Comentários no Facebook