Betim registra tremor de terra nesta manhã

O Observatório Sismológico da Universidade de São Paulo (USP) registrou um tremor de terra no município de Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no início da manhã desta segunda-feira. Segundo o centro especializado, o tremor atingiu 3.5 graus na Escala Richter. Moradores de cidades como Betim, Contagem e Ibirité, por meio de redes sociais,  dizem que foi possível sentir a terra tremer nesses lugares, mas, segundo o Corpo de Bombeiros, nenhuma ocorrência foi gerada em virtude dessa situação.

Dados do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (Obsis) confirmam o abalo sísmico de magnitude 3.7, às 6h21, considerado razoável.

O técnico em sismologia do Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP), João Roberto Barbosa, afirma que o epicentro do tremor deve ficar entre a região de Esmeraldas e Betim, locais onde foram relatados maiores efeitos e sensações relacionadas ao terremoto.

Ainda de acordo com o especialista, o evento trata-se de um sismo moderado, comum no território nacional. “Estamos no centro da placa sul-americana e, por isso, não convivemos com grandes terremotos como os que acontecem nas bordas das placas com magnitude 6”, diz.

Segundo José Roberto, um abalo sísmico da ordem de 3.5 a 3.8 não tem atividade catastrófica e são frequentemente percebidos no Centro-Oeste, Norte e Sul do país. “Eles podem causar trinca nas paredes, derrubar objetos e a queda de uma casa, por exemplo, só ocorreria se o epicentro estivesse exatamente embaixo de uma casa completamente desestruturada”, pondera.

A causa da recorrência desse tipo de evento, de acordo com o técnico, seria a movimentação das placas tectônicas, que anualmente se deslocam alguns centímetros. “A terra é dinâmica e as diversas placas que formam os continentes se movimentam. Os materiais vão se atritando e acumulando tensões que são liberadas gradativamente”, lembra.

Sem Ocorrência

Em Betim, onde moradores também sentiram o abalo, o superintendente da Defesa Civil, José Coelho, afirma que não houve registro de ocorrências, mas que cresceu o número de atendimentos a pessoas curiosas, que querem saber o que aconteceu na cidade. Em Belo Horizonte, a Defesa Civil Municipal informou que não foi registrada nenhuma ocorrência referente ao tremor.

Em Esmeraldas, local do epicentro do tremor, também não foram registradas ocorrências relativas ao abalo, segundo informou Defesa Civil municipal. Entre os bairros onde os tremores foram sentidos com mais intensidade, o secretário de obras Silvio Lúcio destacou o Novo Retiro, Santa Cecília e Centro no sentido Betim. De acordo com o secretário, essa é a primeira vez que moradores de Esmeraldas sentem um tremor com essa intensidade. Há aproximadamente dois meses, um abalo de intensidade menor foi relatado por moradores da região de Andirobas, na divisa com Sete Lagoas.

O estudante Charleston Vinícius de Carvalho, 18 anos, estava em casa, no Bairro Petrolândia, divisa de Betim e Contagem, quando houve o tremor. “A casa sacudiu e eu percebi mais pela cama e janelas, que bateram. Minha irmã de 11 anos ficou assustada. Minha mãe já tinha saído e me pediu para olhar se não tinha nenhuma rachadura. Verifiquei a casa toda e não achei nada”, afirma.

Pelo Twitter, Erid Evangelista postou a seguinte mensagem: “Acordei umas 6h25 sentindo a cama tremer e as janelas faziam muito barulho. Era tremor de terra mesmo aqui em Betim. Pensei que estava sonhando”, disse o leitor. Já Danuza Lima, também pelo Twitter, disse que teve a mesma sensação em Contagem. “Bom dia. Às 6h20 senti um tremor de terra em Contagem. Achei que estivesse ficando doida, mas outras pessoas também sentiram”.

Rodrigo Nogueira usou o mesmo microblog para questionar: “Tremor de terra ou alguma explosão às 6h23 em Betim?”, perguntou. Marcos Gonçalves foi mais um a registrar na ferramenta virtual suas impressões. “Senti tremor de terra agora às 6h25. Estou preparando para sair, moro no Bairro Angola, em Betim.

Pelo WhatsApp, o gerente comercial Marcus Aurélio de Souza contou que sentiu o tremor às 6h22: “no início, fiquei sem saber o que estava acontecendo. Alguns segundos depois, notei que era um tremor de terra. Após algum tempo de silêncio total, vi os moradores indo para janelas e ruas para entender o que estava ocorrendo”, contou o morador de Betim.

Em Contagem, Danuza Lima, moradora da Região da Ressaca, disse que sentiu o tremor de terra por volta das 6h20, quando estava em casa. “A casa tem três andares e a sensaçao que eu tive é de que abalou toda a estrutura do imóvel. Foi muito estranho, intenso, porém rápido.”

FONTEEstado de Minas
COMPARTILHAR
Redação
Como maior ouvidoria popular de Governador Valadares, o Programa Valadares na TV se destaca por levar informação e conteúdo exclusivo de problemas e assuntos de nossa cidade.

Comentários no Facebook