ANAC nega a solicitação e obriga clube fazer alteração na logística.

Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) nega solicitação de voo para Chapecoense e time sofre acidente aéreo.

A Chapecoense precisou mudar os planos da viagem para Medellín, na Colômbia, nesta segunda-feira, local do jogo da final da Copa Sul-Americana. O Verdão do Oeste tinha planejado um voo fretado, saindo de São Paulo com escala na Bolívia, mas a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) negou a solicitação e obrigou alterações na logística.

Chapecoense Anac voo negado (Foto: Reprodução/Anac)Chapecoense teve pedido de voo fretado negado pela Anac (Foto: Reprodução/Anac)

 

O clube catarinense embarcou no aeroporto de Guarulhos em um voo comercial, que saiu as 15h15 e tinha a chegada prevista para meia-noite (horário de Brasília). Com isso, o Verdão do Oeste cancelou o treinamento previsto para esta segunda-feira, no estádio Club Evigado.

Nesta terça-feira, seria feito um treino de reconhecimento no local da partida, no estádio Atanasio Girardot. A atividade era a única prevista em solo colombiano antes de enfrentar o Atlético Nacional, na quarta.

A logística havia sido um problema também na última ida à Colômbia, para enfrentar o Junior Barranquilla. O Verdão teve o pedido do voo fretado negado na ocasião e precisou de um terceiro plano, que causou desgaste antes do jogo das quartas de final.

Depois de empatar com o San Lorenzo por 0 a 0 na Arena Condá, a Chapecoense conquistou a vaga inédita na final da Sul-Americana. É a primeira vez que o clube disputa o título de um torneio internacional. O jogo de ida seria nesta quarta-feira, em Medellín, às 21h45 (horário de Brasília). Mas a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) confirmou o adiamento das finais da Copa Sul-Americana.

Por enquanto, há confirmação de três jogadores já resgatados com vida: o lateral Alan Ruschel e os goleiros Danilo e Jackson Follmann, além deles, Jimena Suárez, comissária, também já foi resgatada, segundo informações da ‘Rádio Caracol’, da Colômbia.

Nem todos jogadores do elenco da Chapecoense estavam no voo. Ficaram no Brasil os seguintes jogadores: Neném, Demerson, Marcelo Boeck, Andrei, Hyoran, Martinuccio, Nivaldo e Rafael Lima

O General José Acevedo Ossa, comandante da Polícia de Antioquía, diz que não há mais sobreviventes na região, estabelecendo o número de mortes superior a 70 pessoas.

Eram 81 pessoas a bordo, sendo 72 passageiros e 9 tripulantes. 48 eram da delegação da Chapecoense, 21 jornalistas e 3 convidados.

As primeiras informações foram de que uma falha elétrica causou o acidente, mas ainda será necessária investigação para confirmar o que motivou a queda do avião

Dentro de instantes mais informações.

 

COMPARTILHAR
Marcus Vinícius Gomes
Réporter Esportivo desde 2010, 30 anos, apaixonado por futebol, viajou Minas Gerais nas melhores coberturas esportivas para Rádios, TV e claro, se divertindo fazendo aquilo que gostava, que é estar à beira do gramado.

Comentários no Facebook