Chuva de meteoros formada por poeira do cometa Halley acontece na madrugada de quinta-feira (05)

As chuvas de meteoros não representam riscos para a Terra

Sua última passagem perto da Terra aconteceu em 1986

 

Quem ainda não teve a oportunidade de observar o cometa Halley, sua última passagem perto da Terra aconteceu em 1986 e ele só retornará em 2061, poderá ver vestígios de seu rastro na madrugada desta quinta-feira (05), momento de maior intensidade da chuva de meteoros Eta Aquáridas. A expectativa é que cerca de 30 meteoros, conhecidos popularmente como estrelas cadentes, cruzem os céus a cada hora.
Segundo Fernando Roig, pesquisador do Observatório Nacional, as chuvas de meteoros não representam riscos para a Terra. Elas acontecem praticamente todos os meses, sendo que algumas possuem maior intensidade, como a que acontece a partir da virada desta quarta para quinta-feira até o dia 28 de maio.
“Elas ocorrem quando a Terra cruza a órbita de algum cometa, o que faz com que pequenos fragmentos que o cometa deixa ao longo da sua órbita penetrem a atmosfera num curto intervalo de tempo e em trajetórias quase paralelas”, explica Roig.
Os meteoros são pequenos corpos celestes que, quando entram na atmosfera do planeta se queimam total ou parcialmente por causa do atrito e o contato com o oxigênio. Caso o objeto sobreviva à entrada na atmosfera e chegue ao solo, ele recebe o nome de meteorito.
A chuva de meteoros Eta Aquáridas recebe este nome porque o seu radiante vem da região do céu onde se encontra a estrela Eta Aquarii, entre as constelações de Aquário, Peixes e Pégaso.

COMPARTILHAR
Jucélio Araujo
Apresentador, 29 anos, na Tv Rio Doce há 11 anos, sendo 6 no Programa Valadares na Tv.

Comentários no Facebook