De Arrascaeta e cia não conseguiram furar bloqueio são-paulino no Mineirão e viram Cruzeiro perder terceira

O Cruzeiro sucumbiu mais uma vez ante ao São Paulo no Mineirão, neste domingo, e não foi dessa vez que o técnico português Paulo Bento pode ver seus comandados saírem com a vitória em casa. Com a derrota, a Raposa perde a chance de subir nove posições na tabela e volta para a zona de rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro. No fechamento da 6ª rodada, o clube fica na 18ª posição, com cinco pontos, somente à frente de Coritiba e Botafogo, ambos com quatro.

Mesmo com maior posse de bola e muita movimentação dos jogadores, o Cruzeiro não criou muitas chances claras de gol e acabou saindo com a derrota. O São Paulo, com quase um time de desfalques, levou a melhor e venceu por 1 a 0, com o gol marcado ainda no primeiro tempo. Com a derrota, a Raposa aumenta o mal retrospecto frente a Tricolor Paulista, jogando no Mineirão. Desde que o Brasileirão passou a ser disputado com o formato de pontos corridos (2003), o time azul perdeu cinco vezes, empatou três e ganhou apenas duas jogando no Gigante da Pampulha.

Na próxima rodada, o clube celeste jogará mais uma vez em Belo Horizonte. Desta vez, porém, no Independência e sem o mando de campo. O Cruzeiro vai enfrentar o rival Atlético, às 16h de domingo, no maior clássico mineiro. O São Paulo joga no sábado, às 21h, no Morumbi, contra o Atlético-PR.

O jogo

O primeiro tempo do confronto teve sua maior parte dominado pelo São Paulo. Depois de um início bastante estudado entre as equipes, o Cruzeiro chegou a ensaiar uma pressão. Dos cinco aos dez minutos, aproveitando os espaços entre as linhas do Tricolor Paulista, Robinho encontrou os companheiros com bons passes e a Raposa teve suas melhores chances na primeira etapa. Aos 7′, em ótima enfiada de bola do meio-campista azul, Willian saiu na cara do goleiro Denis, mas não avançou muito e resolveu chutar logo do início da área. A tentativa saiu mascada e fraca e não causou sustos ao camisa 1 são-paulino.

Antes da metade da etapa inicial, o São Paulo compactou o sistema defensivo e melhorou na partida. O Cruzeiro ainda trocava mais passes, mas não conseguiu novas chances e o Tricolor Paulista criou diversas ações pelos lados do campo. Kelvin iniciou a jogada do gol dos visitantes, aos 22′, quando recebeu e pedalou sob os olhares de Bryan. O atacante viu bem a passagem do lateral Bruno, que recebeu o passe, e cruzou rasteiro. O meia-atacante Ytalo, que entrou na vaga de Paulo Henrique Ganso, dominou, girou sobre a marcação e bateu no canto, sem chances para Fábio.

O Cruzeiro sentiu o golpe e, até o juiz apitar o fim do primeiro tempo, viu o adversário continuar melhor em campo. Centurión também começou a dar trabalho para a defesa cruzeirense. Na segunda vez que passou por Lucas, conseguiu arrancar um cartão amarelo para o lateral-direito, que já havia merecido a advertência na primeira das duas faltas que cometeu sobre o atacante. Pelo lado azul, além dos laterais, sobrecarregados na marcação e avançando pouco, De Arrascaeta também não conseguiu se encontrar. Apagado, o meia-atacante celeste pouco contribuiu para a equipe nos 45 minutos iniciais. A torcida até que apoiava aos gritos, mas viu a equipe de Paulo Bento sem muita inspiração.

Segundo tempo

Paulo Bento usou as conversas no intervalo para corrigir a posição dos laterais, deixando os jogadores mais avançados e segurando os ‘pontas’ do Tricolor Paulista. Com cinco minutos da segunda etapa, Lucas já havia chegado ao ataque em três situações. Com as ações, Centurión era obrigado a voltar na marcação. Com os espaços, aos 9′, o Cruzeiro teve uma grande chance em cruzamento de Lucas Romero, que ninguém chegou para completar.

Aos 10′, o comandante cruzeirense promoveu duas mudanças no time. Paulo Bento tentou dar mais opções ofensivas à equipe, colocando Alisson no lugar de Robinho e Riascos na vaga de Willian, que saiu muito vaiado pela torcida. De Arrascaeta foi recuado para armar as jogadas do ataque azul. O Cruzeiro se organizou, dominou a posse da bola, finalizou mais e melhorou na segunda etapa. Aos 21′, no entanto, o São Paulo levou perigo

Com 26′ do segundo tempo, o Cruzeiro já não criava tanto e passou um susto em uma saída de bola errada de Fábio. O goleiro chutou na intermediária, Lucas Fernandes dominou no peito e construiu a jogada que só foi salva por Bryan, já na pequena área. A Raposa lutou até o fim do jogo e, mesmo com superioridade também nas finalizações (11-8), não foi capaz de conseguir o empate. Aos 43′, Fábio ainda salvou um placar mais dilatado. O goleiro fez boa defesa, pegando um chute rasteiro no canto esquerdo.

CRUZEIRO 0 x 1 SÃO PAULO

CRUZEIRO
Fábio; Lucas, Bruno Viana, Bruno Rodrigo e Bryan; Henrique, Lucas Romero, Robinho (Alisson, aos 10min do 2ºT)e De Arrascaeta (Douglas Coutinho, aos 27min do 2ºT); Elber e Willian (Riascos, aos 10min do 2ºT)
Técnico: Paulo Bento

SÃO PAULO
Denis; Bruno (Auro, aos 1min do 2ºT), Maicon, Lugano e Matheus Reis; João Schmidt, Thiago Mendes e Ytalo (Luís Araújo, aos 28min do 2ºT); Centurión (Lucas Fernandes, aos 22min do 2ºT), Kelvin e Alan Kardec
Técnico: Edgardo Bauza

Gols: Ytalo, aos 22min do 1ºT (São Paulo)
Cartões amarelos: Lucas, aos 44min do 1ºT; (Cruzeiro); Riascos, aos 41min do 2ºT; (Cruzeiro)

Motivo: 6ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: domingo, 05 de junho de 2016
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Nadine Camara Bastos (SC) e Christian Passos Sorence (GO)
Pagantes: 18.904
Renda: R$ 466.861,00

FONTESuperesportes
COMPARTILHAR
Marcus Vinícius Gomes
Réporter Esportivo desde 2010, 30 anos, apaixonado por futebol, viajou Minas Gerais nas melhores coberturas esportivas para Rádios, TV e claro, se divertindo fazendo aquilo que gostava, que é estar à beira do gramado.

Comentários no Facebook