Foto: Leonardo Silva

Duelo de Raposas em Campina Grande, na Paraíba. Buscando o pentacampeonato da Copa do Brasil, o Cruzeiro estreou no torneio visitando o Campinense, sensação e finalista da Copa do Nordeste. Após o resultado negativo na semifinal mineira, o time de Deivid entrou em campo com duas tarefas principais: vencer e eliminar o jogo da volta, se possível. Mas nada disso foi possível. Mesmo jogando com a maior parte do time reserva, os rubro-negros deram trabalho ao Cruzeiro, que atuou com pouca inspiração, viu o zagueiro Léo ser expulso no início do segundo tempo e ficou apenas no empate sem gols, forçando a partida da volta em Belo Horizonte, daqui a duas semanas.

CAMPINENSE 0x0 CRUZEIRO

Motivo: Jogo de ida, 1ª fase, Copa do Brasil 2016
Data/Hora: 20/04/2016, às 21h45
Estádio: Estádio Amigão, em Campina Grande (PB)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP/CBF)
Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Junior (SP) e Marlon Rafael Gomes de Oliveira (PE/CBF)

Cartões amarelos: Magno (CAM); Lucas Romero (CRU)
Cartão vermelho: Léo (CRU).
Público/Renda: Não divulgados.

Campinense: Gledson; Everaldo, Jairo, Tiago Sala e Danilo; Renatinho (Raul – 15’2ºT), Magno, Jussimar e Felipe Ramon (Fernando Pires – 28’2ºT); Pitbull e Bruno Correa (Roger Gaúcho – Intervalo). Técnico: Francisco Diá.

Cruzeiro: Fábio; Mayke, Bruno Rodrigo, Leo e Fabrício; Lucas Romero, Henrique e Ariel Cabral; Alisson (Allano – 34’2ºT), Élber (Douglas Coutinho – 43’2ºT) e Rafael Silva (Bruno Viana – 4’2ºT). Técnico: Deivid.

Primeiro tempo

A proposta mais ofensiva do Cruzeiro não foi traduzida em gols e mal proporcionou lances de perigo. Com o Campinense bastante fechado, o time mineiro ficou muito tempo com a bola, mas pouco fez. Élber e Alisson passaram discretos. Com Arrascaeta no banco, faltou um toque de qualidade para criar as jogadas. Sem conseguir aproveitar a superioridade técnica, os visitantes mal finalizaram à meta adversária. Aos poucos, os anfitriões acharam espaços e se arriscaram nos contra-ataques. A melhor chance saiu aos 44 minutos, com o chute de Magno beijando o travessão de Fábio.

Segundo tempo

Com 40 segundos da etapa final, o zagueiro Léo dormiu no ponto e acabou expulso por impedir Pitbull de sair cara a cara com Fábio. Nos dez minutos seguintes, o Campinense já liderava o quesito finalizações, mudando completamente o cenário do jogo. Quando chegou bem, o Cruzeiro equilibrou a partida, mas voltou a expor seu ponto fraco e perdeu ótimas oportunidades de frente para o gol. Primeiro com Lucas Romero, depois com Élber. Sem pernas, as equipes não conseguiram buscar algo a mais e deixaram o campo com a igualdade sem gols.

Fim de semana decisivo

O domingão será decisivo para as duas Raposas. Na Paraíba, o Campinense recebe o rival local Treze, em jogo valendo vaga na semifinal do estadual. A primeira partida ficou 0 a 0. Em Belo Horizonte, depois de sair atrás por 2 a 0, o Cruzeiro faz o segundo clássico contra o América, que vale a passagem para a decisão do Campeonato Mineiro.

Jogo de volta na véspera da final mineira

Com o resultado, o Cruzeiro não conseguiu eliminar o jogo da volta, marcado para o dia 4 de maio. Desta forma, se conseguir chegar à final do Campeonato Mineiro, a equipe de Deivid terá que reencontrar o Campinense dias antes da partida decisiva do estadual, no dia 8.

COMPARTILHAR
Marcus Vinícius Gomes
Réporter Esportivo desde 2010, 30 anos, apaixonado por futebol, viajou Minas Gerais nas melhores coberturas esportivas para Rádios, TV e claro, se divertindo fazendo aquilo que gostava, que é estar à beira do gramado.

Comentários no Facebook