Dólar opera em alta, após menor cotação em 8 meses na véspera

Moeda fechou na véspera em queda de 2,83%, a R$ 3,4946. Mercado reflete euforia com a possibilidade de impeachment de Dilma.

O dólar opera em alta nesta terça-feira (12), após ter fechado na véspera na menor cotação desde agosto do ano passado, abaixo de R$ 3,50, com o mercado de olho nos próximos passos do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas impactado pela forte atuação do Banco Central para segurar quedas mais expressivas.

Às 9h19, a moeda norte-americana operava em alta de 0,56%, vendida a R$ 3,5144. Veja a cotação do dólar hoje.
Acompanhe a cotação ao longo do dia:
Às 9h10, alta de 0,38%, a R$ 3,5079.
Na véspera, o dólar recuou 2,83%, a R$ 3,4946, menor cotação de fechamento desde 20 de agosto passado (R$ 3,4596) e maior queda diária desde 24 de setembro de 2015 (-3,73%).

A última vez que o dólar tinha fechado abaixo de R$ 3,50 foi no dia 21 de agosto de 2015, quando terminou o pregão a R$ 3,496.
Em apenas duas sessões, a queda acumulada da moeda norte-americana foi de 5,39%. No mês de abril, o dólar acumula queda de 2,83%. No ano, a divisa já recuou 11,5%.
Na noite passada, a comissão especial do impeachment aprovou o parecer favorável à abertura do processo contra a presidente Dilma Rousseff por 38 votos a 27, resultado comemorado pela oposição mas que não desagradou de todo os governistas por não chegar a dois terços de deputados a favor do impedimento. No fim da semana, o plenário da Câmara dos Deputados deve votar a matéria.

Intervenção do BC

Diante da forte queda do dólar, o BC mais uma vez entrou em campo. Para este pregão, pelo menos por enquanto, não anunciou leilão de rolagem dos swaps tradicionais –equivalentes à venda futura de dólares– e aumentou a dose dos leilões de swaps reversos –correspondentes à compra futura de dólares– para 40 mil contratos.

COMPARTILHAR
Redação
Como maior ouvidoria popular de Governador Valadares, o Programa Valadares na TV se destaca por levar informação e conteúdo exclusivo de problemas e assuntos de nossa cidade.

Comentários no Facebook