Zanetti conquista o bicampeonato da etapa de São Paulo (Foto: Vini Marins)

Cada vez que Arthur Zanetti aparecia no telão, um ginásio do Ibirapuera quase lotado ovacionava o campeão olímpico das argolas. O clima era de Olimpíadas, com os toques de badalação e de pressão sobre o ginasta em São Paulo. Muito superior aos adversários nesta etapa da Copa do Mundo, ele que

ria mesmo vivenciar mais uma vez esse ambiente. Um novo teste de competir como anfitrião e favorito, uma nova aprovação. Assim como no evento-teste de abril, Zanetti foi preciso e conquistou a medalha de ouro, com a nota 15,800.

ARGOLAS

Campeão no Ibirapuera, o ginasta já esperava o bi. Só erros muito graves o tirariam do topo do pódio, mas Zanetti não um ginasta de cometer falhas, busca sempre a precisão. Apesar dos gritos da torcida, nada de tremer. As argolas ficaram estáticas, dominadas nas mãos do campeão olímpico. A cravada na saída era a certeza de uma grande nota, confirmada logo depois pelos árbitros: 15,800 pontos, o mesmo que o grego Eleftherios Petrounias conseguiu para levar o título mundial do ano passado.

Além do título, Zanetti mostrou consistência. Em quatro apresentações neste ano, sempre esteve entre os 15,800 e 15,866 pontos. Na atual temporada, apenas Petrounias conseguiu superar essa marca em competições internacionais – ele recebeu 15,900 na classificatória do evento-teste, mas foi batido pelo brasileiro na final.

Em São Paulo, os outros finalistas foram coadjuvantes. O argentino Federico Molinari, bronze em 2015 no Ibirapuera, levou a prata com 15,050 pontos. O carismático japonês Kaito Imabayashi ficou com o bronze, com 14,700 pontos. O brasileiro Francisco Barretto também acertou sua série, mas ficou na sexta posição, com 14,250 pontos, por ter grau de dificuldade menor.

BARRA FIXA

A final da barra fixa abriu as disputas deste domingo. Em grande estilo e com direito a ouro para o Brasil, prata para o showman japonês Kaito Imabayashi, que repetiu as dancinhas de sábado e encantou a torcida, e uma queda feia de Arthur Nory, assustando os presentes no Ibirapuera. O título saiu depois de uma nota 15,250 para Sasaki, com uma apresentação que teve largadas e retomadas de alto grau de dificuldade.

FONTEsportv.globo.com
COMPARTILHAR
Marcus Vinícius Gomes
Réporter Esportivo desde 2010, 30 anos, apaixonado por futebol, viajou Minas Gerais nas melhores coberturas esportivas para Rádios, TV e claro, se divertindo fazendo aquilo que gostava, que é estar à beira do gramado.

Comentários no Facebook