Estradas mineiras têm queda de 50% no número de mortes no feriado de Corpus Christi

Caminhão caiu em barranco na MG-494, no Sul de Minas (foto: Polícia Militar/Divulgação)

As mortes nas estradas estaduais tiveram queda de 50% neste ano durante o feriado de Corpus Christi, em comparação com o mesmo período de 2016. Segundo balanço divulgado pela Polícia Militar de Minas Gerais (MPMG), 11 pessoas perderam a vida entre a quarta-feira e o último domingo. No ano passado, foram 22 mortes registradas.

o todo, foram 223 acidentes nas rodovias estaduais e federais sob responsabilidade da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), que provocaram ferimentos em 203 pessoas. O número de ocorrências foi menor do que 2016, quando tiveram 270. Do total de acidentes, 119 foram com vítimas e outros 94 sem vítimas.

 Em uma das ocorrências, o motorista de um caminhão morreu em um trecho conhecido por tragédias. O veículo em que ele estava caiu em uma ribanceira na MG-494, em Arantina, na Região Sul de Minas, no último sábado. A vítima foi arremessada para fora do veículo e não resistiu aos ferimentos.

De acordo com a PM, que atendeu a ocorrência, o veículo seguia em direção a Lavras, também no Sul de Minas, onde buscaria um carregamento de milho. As análises iniciais indicam que a vítima estava sem o cinto de segurança.

Operações

Durante o recesso, foram realizadas 3.260 operações nas rodovias pela PM. Durante as ações, 50 mil veículos foram fiscalizados, 238 pessoas tiveram a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) apreendidas por irregularidades, 46 condutores foram presos pro embriaguez ao volante, e 580 inabilitados foram autuados. Radares flagraram 4.675 irregularidades por excesso de velocidade. Além disso, foram presas 139 pessoas por crimes diversos, 37 adolescentes apreendidos e 51 armas de fogo retiradas de circulação.

Fonte: EM

COMPARTILHAR
Redação
Como maior ouvidoria popular de Governador Valadares, o Programa Valadares na TV se destaca por levar informação e conteúdo exclusivo de problemas e assuntos de nossa cidade.

Comentários no Facebook