Independência será palco do jogo decisivo entre Atlético-MG e São Paulo, pela Libertadores (Foto: Divulgação)

Depois da partida contra o São Paulo, nesta quarta-feira, caso o time se classifique, a torcida do Atlético não poderá mais embalar o famoso cântico “Caiu no Horto, tá morto”, que guiou a vitoriosa campanha na Libertadores de 2013. Ao menos não nesta edição da competição sul-americana.

Mesmo se conseguir reverter a desvantagem do 1 a 0 sofrido no Morumbi, o Galo terá que mandar eventuais jogos de semifinal e final no Mineirão. Tudo isso por conta do regulamento da Copa Libertadores, que determina que, a partir da próxima fase da competição, os estádios devem ter capacidade para, no mínimo, 30 mil torcedores. Segundo laudos da Federação Mineira de Futebol (FMF), o Independência abriga até 23.018 pessoas.

Regulamento determina que os estádios das semifinais tenham capacidade para 30 mil torcedores
Regulamento determina que os estádios das semifinais tenham capacidade para 30 mil torcedores

O Mineirão, por outro lado, tem capacidade para 61.846 espectadores e pode receber a decisão da competição. Segundo o regulamento, a final deve ser realizada em estádios que abriguem pelo menos 40 mil torcedores.

O Independência podia receber partidas de semifinal até a edição de 2014. À época, o documento da Conmebol exigia capacidade mínima de 20 mil torcedores até esta fase. Na Libertadores de 2013, o Atlético utilizou o estádio na vitória por 2 a 0 sobre o Newell’s Old Boys, pela semifinal da competição. A final daquele ano, no entanto, foi realizada no Mineirão.

Desde aquela decisão contra o Olimpia-PAR, o Atlético só disputou uma partida no Gigante da Pampulha pela Libertadores. Por decisão da diretoria do clube alvinegro, o jogo diante do Melgar, neste ano, foi realizado no Mineirão. Na ocasião, o Galo venceu por 4 a 0.

Em 2016, o Atlético utilizou o Independência três vezes na competição até aqui: venceu o Independiente del Valle-EQU por 1 a 0, o Colo Colo-CHI por 3 a 0 e o Racing-ARG por 2 a 1.

COMPARTILHAR
Marcus Vinícius Gomes
Réporter Esportivo desde 2010, 30 anos, apaixonado por futebol, viajou Minas Gerais nas melhores coberturas esportivas para Rádios, TV e claro, se divertindo fazendo aquilo que gostava, que é estar à beira do gramado.

Comentários no Facebook