Recuperação da bacia do rio Manhuaçu favorece Rio Doce

Foto: Reprodução Internet / Wikipédia

O Instituto Terra inicia neste mês a recuperação de mais mil nascentes da bacia hidrográfica do rio Manhuaçu. A iniciativa é considerada estratégica e um importante passo para revitalizar a bacia do rio Doce, através de seus afluentes. A lama que desceu da barragem de Mariana para o Doce, em novembro de 2015, condenou o rio à morte.

Essa etapa do Programa Olhos d’Água será executada por meio de um convênio com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e terá um custo de R$ 6,8 milhões, sendo que R$ 5,7 milhões virão do Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais (Fhidro). O restante é contrapartida do Instituto Terra, a ser viabilizada por meio de parceria com a Arcelor Mittal Brasil, mediante a entrega dos insumos para cercamento das nascentes.

A previsão é a de que os trabalhos sejam concluídos em janeiro de 2018.

Projeto

Além de cercar a área ao redor da nascente, o instituto doa mudas de espécies nativas de Mata Atlântica para plantio ao redor do olho d’água nas propriedades rurais.

O projeto de revitalização do rio Doce através dos seus afluentes vai contemplar também a instalação de fossas sépticas biodigestoras nas propriedades. Serão beneficiados, ao todo, 500 produtores rurais.

Gerente ambiental do Instituto Terra, Jaeder Lopes Vieira destaca que a bacia hidrográfica do rio Doce sofre há décadas com o desmatamento, a seca, a erosão e a poluição. “Agora exige ações ainda mais emergenciais após a tragédia de Mariana. Atuar nos rios afluentes tornou-se primordial para resgatar o fluxo hídrico na bacia como um todo. Tornar a disponibilidade de água mais estável durante todas as estações do ano e melhorar a qualidade dessas águas depende da qualidade ambiental das nascentes e dos respectivos riachos e rios que se formam”, frisou.

Totalmente inserida em Minas Gerais, nas regiões da Zona da Mata e Vale do Rio Doce, a bacia hidrográfica do Manhuaçu abrange área de 9.189 quilômetros quadrados, integrando a macrobacia do rio Doce.

Pertencente ao fotógrafo Sebastião Salgado, o Instituto Terra tem sede em Aimorés; programa desenvolvido beneficia 487 produtores rurais em oito municípios banhados pela bacia do rio Doce

Comentários no Facebook