BELO HORIZONTE / BRASIL (19.10.2016) Cruzeiro x Corinthians, no Mineirão, em Belo Horizonte-MG, pela Copa do Brasil. Juliana Flister

O sufoco da luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro acabou para o Cruzeiro após a vitória sobre o Sport, na Ilha do Retiro. Nesta partida, o técnico Mano Menezes completou um turno inteiro à frente da equipe celeste e obteve um aproveitamento muito superior ao seu antecessor, o português Paulo Bento. Claro que as chegadas de reforços durante a competição também ajudaram no trabalho para turbinar a pontuação e evitar a queda.

Em 19 jogos com Mano no Brasileirão, o Cruzeiro registra nove vitórias, cinco empates e cinco derrotas (56,1% de aproveitamento). O rendimento deixaria o Cruzeiro em quinto lugar na classificação atual (o Atlético, quarto colocado, tem 58,8%), justamente a posição que a equipe celeste ocupa considerando apenas o returno.

Já com Paulo Bento, a Raposa fez 15 jogos e venceu quatro, empatou três e foi derrotada oito vezes, alcançando apenas 33,3% de aproveitamento.

Desde a chegada de Mano Menezes, que pegou o Cruzeiro na penúltima posição, houve um aumento de 68,4% no aproveitamento do time celeste em relação ao desempenho com Paulo Bento.

Outro fator a ser considerado são as contratações de Ramón Ábila, Rafael Sobis, Rafinha e Robinho, que melhoraram bastante o desempenho do Cruzeiro em campo. Basta ver a diferença entre a escalação do time titular do empate com o Figueirense, na segunda rodada, que marcou a estreia de Paulo Bento, e da derrota para o Sport, na 16ª, quando o português foi demitido. Foram seis mudanças, passando pela defesa, meio-campo e ataque.

Contra o Figueira, o Cruzeiro jogou com Fábio; Gino, Bruno Viana, Bruno Rodrigo e Sánchez Miño; Henrique, Bruno Edgar, Élber, Pisano e Arrascaeta; Willian. Entraram no decorrer da partida: Douglas Coutinho, Allano e Ariel Cabral. Já no duelo derradeiro contra o Sport, o time celeste atuou com Fábio; Lucas, Léo, Bruno Rodrigo e Edimar; Henrique, Ariel Cabral, Arrascaeta e Willian; Ábila e Rafael Sobis. Entraram: Robinho, Rafinha e Douglas Coutinho.

A empolgação com o desempenho foi tão grande que alguns já começaram a vislumbrar o Cruzeiro entrando na briga pelo G6 após a vitória sobre o Sport. Mas Mano Menezes tratou de trazer o torcedor para a ‘realidade’.

“Na situação em que nos encontramos, para pensarmos em mais alguma coisa temos que somar nove pontos nos próximos nove e nossos adversários têm que parar de pontuar. As duas coisas são muito difíceis. É difícil fazer nove em nove. Claro que trabalharemos muito para fazer, para vencer o Santos no próximo domingo, na nossa casa, mas não vamos iludir o nosso torcedor. Se acontecer, será uma das peculiaridades do futebol”, disse o treinador.

FONTERadio Itatiaia
COMPARTILHAR
Marcus Vinícius Gomes
Réporter Esportivo desde 2010, 30 anos, apaixonado por futebol, viajou Minas Gerais nas melhores coberturas esportivas para Rádios, TV e claro, se divertindo fazendo aquilo que gostava, que é estar à beira do gramado.

Comentários no Facebook