Waldir Maranhão revoga sua própria decisão de anular sessões do impeachment na Câmara

Ele também comunicou o presidente do Senado, Renan Calheiros, sobre a revogação de sua decisão

O presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão, revogou decisão proferida por ele na manhã da segunda-feira (9) em que anulava as sessões do “plenário da Câmara dos Deputados ocorridas nos dias 15,16 e 17 de abril nas quais se deliberou sobre a denúncia por crime de responsabilidade” da presidente Dilma Rousseff. EXPRESSO teve acesso com exclusividade ao documento. Maranhão também assinou um ofício direcionado ao presidente do Senado, Renan Calheiros, em que comunica a revogação de sua decisão, que anulava o trâmite do processo na Câmara dos Deputados.

Pelo Twitter, o editor da revista Época, Diego Escosteguy, cita o colunista Murilo Ramos, afirmando que o deputado estava sendo pressionado por todos os lados por causa da decisão desta segunda-feira, estando sob ameaça de expulsão do partido e a perda do mandato. O documento mostrado pela revista, no entanto, mostra a assinatura de Maranhão, mas não está datado.

Waldir Maranhão revoga sua própria decisão de anular sessões do impeachment (Foto: Reprodução)
Waldir Maranhão revoga sua própria decisão de anular sessões do impeachment (Foto: Reprodução)

Integrantes do Governo se dirigiam, por volta de meia noite, à casa de Maranhão, na tentativa de fazer o deputado mudar de ideia. O Ministro Eduardo Cardozo (Advocacia-Geral da União) e o Governador do Estado do Maranhão Flávio Dino (PC do B) já tomaram conhecimento da decisão do Presidente da Câmara.

Mais cedo, Renan classificou o ato de Maranhão como uma “brincadeira com a democracia”. Diante da revogação, Renan não deverá ter problemas para autorizar a sessão que vai deliberar sobre o afastamento da presidente Dilma Rousseff, marcada para quarta-feira (11).

Waldir Maranhão comunica Renan Calheiros sobre revogação (Foto: Reprodução)
Waldir Maranhão comunica Renan Calheiros sobre revogação (Foto: Reprodução)

Maranhão tinha relatado a interlocutores o receio de, por causa da decisão, ser expulso do PP, e consequentemente, perder seu mandato.

A decisão não deixa a Presidente Dilma em uma situação confortável, já que ela pretendia usar a decisão anterior do Deputado, para pedir ao Supremo que paralisasse o rito do Impeachment.

COMPARTILHAR
Jucélio Araujo
Apresentador, 29 anos, na Tv Rio Doce há 11 anos, sendo 6 no Programa Valadares na Tv.

Comentários no Facebook