Covid-19

Minas tem estoque para vacinação só até março

Ritmo de imunização projeta necessidade de novas doses ainda neste trimestre para ampliar público

11/02/2021 16h12
Por: Redação
Fonte: Estado de Minas
Foto: Imprensa MG
Foto: Imprensa MG

Minas Gerais precisa de mais doses de vacina até 21 de março ou o estado pode ficar sem os imunizantes para a sequência de sua campanha de vacinação contra covid-19.

O total de doses despachadas pelo Ministério da Saúde para o estado foi de 1.171.180 até ontem, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). No entanto, desde o momento em que as vacinas começaram a ser aplicadas, chegou-se a 342.152 aplicações de primeiras e 48.040 de segundas doses.Um ritmo de 19.510 administrações contra o vírus por dia. Se mantido, esgotaria o estoque mineiro em 38 dias.

O Brasil já recebeu 11,8 milhões de doses de vacinas contra a COVID-19 e, segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), apresenta uma taxa de aplicação de 45,55%. Com isso, levaria mais 45 dias para o país consumir suas reservas, até 28 de março.

A esperança é que cheguem a Minas Gerais parte dos 9,6 milhões de doses previstas para serem entregues no próximo mês ao Ministério da Saúde.Não há data fechada para envio a Minas Gerais. Entre 15 e 19 de março, a Fiocruz promete um milhão de imunizantes e o Instituto Butantan outros 8,6 milhões até o fim do mês que vem. 

Em Minas Gerais, para que uma das vacinas chegue a uma pessoa, ela deve ser entregue ao Ministério da Saúde pelo fabricante e despachada para o Centro Estadual de Rede de Frio de MG, depois enviada para cada uma das 28 regionais de Saúde do estado e só então vão para as secretarias de Saúde dos 853 municípios. Por isso, o ritmo de abastecimento depende da aquisição pelo Ministério da Saúde.

A SES-MG afirma seguir o Plano Nacional de Imunização (PNI). "Considerando as estimativas do Ministério da Saúde, com as doses recebidas até o momento pelo estado, a expectativa é que Minas Gerais imunize aproximadamente 73% dos trabalhadores de saúde e 100% do público dos outros grupos (no topo das prioridades): pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas; pessoas institucionalizadas, maiores de 18 anos, portadoras de deficiência, e população indígena aldeada, pessoas com 90 anos ou mais". 

A SES-MG salienta que os dados de vacinação são informados pelas secretarias municipais de Saúde, o que significa que seu balanço é um retrato da atualização desses números.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários